obesidade

Os americanos foram um dos primeiros povos do mundo que puderam se dar ao luxo de se bombardear de comidas hipercalóricas e com poucos nutrientes, frequentemente chamadas de calorias vazias ou de junk food.

Quando falo em “calorias vazias” estou me referindo a alimentos deficientes em nutrientes e fibras.

Uma porcentagem cada vez maior de americanos tem esse tipo de alimentação calórica ao mesmo tempo em que permanece sedentária, uma combinação perigosa.

A obesidade é o maior problema de saúde dos Estados Unidos e, se a tendência se mantiver, todos os adultos americanos serão obesos em 2048.

Os Institutos Nacionais de Saúde estimam que a obesidade dobra o risco de mortalidade, sendo responsável por um custo de US$ 100 bilhões ao ano para a sociedade.

A situação é especialmente desanimadora para aqueles que fazem dieta.

Depois de investir muito dinheiro em tentativas de emagrecimento, 95% das pessoas recuperam o peso perdido e até ganham alguns quilos a mais em um período de três anos.

Esse enorme fiasco se deve à grande maioria dos métodos de emagrecimento e das dietas malucas.

A obesidade e suas sequelas são um sério desafio para os médicos.

Tantos clínicos gerais quanto especialistas no assunto não conseguem provocar um efeito prolongado na saúde da maior parte de seus pacientes.

Estudos apontam que o peso perdido no começo dos tratamentos é logo recuperado.

Pessoas com uma genética propícia a armazenar gordura podem ter tido vantagem na luta pela sobrevivência durante períodos de fome ou quando, há milhares de anos, a comida era escassa.

Mas, nos dias de hoje, com técnicas modernas de estocagem e produção de alimentos, o que era privilégio genético se tornou um fardo.

Quem tem pais obesos tem dez vezes mais chances de se tornar obeso.

Além disso, famílias obesas tendem a ter animais de estimação também obesos, o que obviamente não é responsabilidade da genética.

Dessa forma, o que determina a obesidade é uma combinação de más escolhas alimentares, sedentarismo e predisposição genética.

No mais, ninguém pode mudar os genes que recebeu, e culpá-los não resolve o problema.

O que as pessoas querem hoje em dia não é uma análise honesta sobre as causas da obesidade, e sim uma cura milagrosa, uma dieta mágica ou algum artifício que dispense qualquer esforço.

A obesidade não se resume a uma questão estética, o sobrepeso reduz a expectativa de vida, como confirmam muitos estudos.

Indivíduos acima do peso são mais propensos a morrer precocemente por diversos motivos, incluindo doenças do coração e câncer.

Dois terços dessas pessoas também apresentam hipertensão, diabetes, doenças cardíacas ou outros problemas relacionados à obesidade, uma das maiores causadoras de morte precoce.

Como as maiorias das dietas malucas quase nunca funcionam e a obesidade representa um enorme risco de vida, mais e mais pessoas aderem desesperadas à medicamentos e procedimentos cirúrgicos para perder peso.

Complicações De Saúde Causadas Pela Obesidade

  • Redução da expectativa de vida
  • Diabetes Tipo 2
  • Hipertensão
  • Artrite degenerativa
  • Doenças da artéria coronária
  • Câncer
  • Distúrbios lipídicos
  • Apneia obstrutiva do sono
  • Cálculo biliar
  • Infiltração de gordura no fígado
  • Doença pulmonar restritiva
  • Doenças gastrointestinais

 

Emagrecimento-Definitivo-1

Post Author: Blog - Emagrecer com Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Leia Também...

Por-que-a-maioria-das-dietas-falham

Por Que A Maioria Das Dietas Falham

A imprensa, os livros de dieta e até mesmo boa

fome-verdadeira

Fome Verdadeira

Vamos conhecer mais um pouco sobre “Fome Verdadeira”, leia nosso

medo-de-passar-fome

Medo de Passar Fome

Uma Importante Descoberta Muitas pessoas temem a fome. Parece absurdo

Curta Nossa Página no Facebook!!!